segunda-feira, 23 de março de 2020

Experimentar ciência

Neste site espanhol podemos encontrar, em PDF, uma coleção de 50 experiências de ciência para públicos do pré-escolar ao 1º ciclo.



https://www.orientacionandujar.es/2018/05/06/50-experimentos-para-ninos-manual-de-experimentos-la-ciencia-es-muy-divertida/?fbclid=IwAR0g-B8kEC8r5NkN9Lc9OGvk0aYu91S3w47UvU9U9QsmO30ohb5cAqRkoBY

sábado, 21 de março de 2020

A Arte em tempos de ficar por casa

Caros colegas,

Como sugestões para trabalhar com os alunos, mas também nos atualizarmos, deixo-vos três sugestões:

A RTP proporciona, nos seus arquivos, um vasto leque de documentários realizados ao longo do tempo. São ferramentas muito úteis em qualquer ocasião. Mas agora, dadas as circunstâncias, uma ótima ferramenta para trabalhar com os alunos à distância. O endereço fica aqui, ligado, claro, às Artes Plásticas: https://arquivos.rtp.pt/colecoes/artes-plasticas/
Mas, se derem um passeio pelos restantes documentários, verificarão que há "menu" para todos!

Quero também lembrar que o Blogartes é muito mais do que um mero divulgador dos trabalhos do alunos. Entrando, podem percorrer vários museus em Portugal e lá fora, vários sites e blogues de artistas portugueses, breves apontamentos da história de alguns objetos... Podem até contribuir, se quiserem!

E, finalmente, o Cinemaescas, que nos dá a lista completa do Plano Nacional de Cinema. Aqui, encontrarão alguns filmes na íntegra, desde o ensino pré-primário até ao secundário. E, neste momento, está a publicar um filme por dia, daqueles que não se encontram facilmente para venda ao público.

Saúde para todos, 
Cristina Magalhães


sexta-feira, 20 de março de 2020


Colegas

MOOC 'A Europeana na Sala de Aula' tem vindo a disponibilizar recursos que podem ser utilizados em diferentes contextos e para diferentes níveis.

Deixo aqui o link do site. Embora o site abra em inglês podem optar por português no menu Languages.

https://www.europeana.eu/portal/en

Bom trabalho!

Truque e Dicas no Online

Truque e Dicas no Online

Consultar aqui

Google Arts & Culture

Para viajar em tempos de recolhimento.

https://artsandculture.google.com/



Spy Agency Portugal

Mais uma partilha para passar o tempo. Podem enviar aos vossos alunos.

Agentes Secretos - Recrutamento da Spy Agency Portugal

https://view.genial.ly/5e4daa56aae22654535a0772

Fiquem bem.

quinta-feira, 19 de março de 2020

Técnicas para a manipulação das massas


“Armas silenciosas para guerras tranquilas”. É assim que o escritor, filósofo e linguista norte americano Noam Chomsky, nascido na Filadélfia em 7 de dezembro de 1928, descreve dez técnicas de manipulação das massas.

1 – Estratégia da distração
Uma forma de manter o controle social da população é desviar a sua atenção frente às mudanças sociais, econômicas e políticas pelas quais a sociedade está atravessando atualmente, como forma de passar despercebido o que realmente é benéfico para a população, em favorecimento dos interesses da classe dominante. Assim, o público deixa de pensar os problemas essencialmente importantes, para voltar se ocupar com os seus afazeres diários como, por exemplo, trabalhar todos os dias pontualmente e voltar para casa com segurança.
Não é de interesse do Estado que os indivíduos sejam seres pensantes, que se preocupem em aprofundar seu conhecimento para serem formadores de opinião (pensamento crítico). É mais vantajoso ter os indivíduos acomodados que não questionem tanto o porquê das coisas e as aceitem do jeito que está, mantendo-os assim, sob controle.
Manter a atenção do público desviada dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado e ocupado, sem nenhum tempo para pensar, de volta a granja, com os outros animais.

2 – Problema reacção solução
Nessa estratégia cria-se proporcionalmente um problema para gerar uma reacção no público, no intuito de que o mesmo seja visto como o responsável pelas medidas que o governo já iria adoptar. Ou seja, dão voz ao povo, para mascarar os verdadeiros interesses da classe dominante. Por exemplo, surgem boatos que a epidemia da febre amarela está se alastrando pela cidade, sendo que nada ainda foi comprovado. As pessoas acreditando já ser uma epidemia se desesperam, e compram remédios em grande quantidade, alimentando o lucro das indústrias farmacêuticas.

3 – Estratégia da gradação
Para se fazer aceitar uma medida considerada arbitrária ou inaceitável pela população, essa estratégia é utilizada de modo eficaz. Como uma espécie de conta gotas, tal medida é aplicada aos poucos, podendo estender-se há meses ou anos a fio.
Dessa forma, o aumento abusivo de impostos, bem como da taxa de transporte público, por exemplo, passam a ser vistos com o passar dos dias, meses e até anos, como realmente algo necessário a população, um processo que ocorre gradualmente para evitar uma possível manifestação do povo.
Medidas que são na verdade prejudiciais a população, por favorecer os interesses escondidos de uma minoria, passam a ser implantados como se fossem garantir benefícios em comum (universais), para a população.

4 – Estratégia do diferimento
Outra estratégia utilizada para se fazer aceitar uma medida considerada abusiva ou prejudicial, é a de que ela é “dolorosa e necessária”, no sentido de ser inevitável a sua implantação.
Utiliza-se a máxima “piano piano si va lontano”, equivalente ao ditado popular, “devagar se vai ao longe”, para se fazer aceitar momentaneamente uma determinada medida no presente, e em um futuro próximo, aplicá-la.
É mais fácil aceitar a implantação de uma medida afirmada pelo Estado como “dolorosa e necessária” no futuro, do que de forma imediata, ou seja, assim que é formulada. Porque faz com que o indivíduo, alimente uma falsa esperança de que mais na frente, as coisas irão se acertar (normalizar), levando-o a aceitar tal medida com resignação, um sacrifício a ser consumado para o bem de todos.
É mais fácil aceitar um sacrifício futuro, do que um sacrifício imediato. (fonte)

5 – Tratar o público como se fosse criança
O mercado publicitário, geralmente usa de artifícios mediáticos infantis, para se dirigir ao público, como se tivesse a idade de 12 anos ou menos. Essa estratégia é utilizada para que o público também corresponda de modo infantil, respondendo as questões importantes da sociedade de modo vago, sem fundamentação crítica.
Sabemos que as crianças estão em processo de formação de sua consciência moral e intelectual. Em consequência, os meios de comunicação se utilizam de personagens, argumentos, discursos de uma linguagem particularmente infantil, para tratar o telespectador como uma criança em processo de formação de carácter. Pior, como se tivesse problemas neurológicos, subestimando a sua inteligência, frente aos graves problemas que estamos enfrentando actualmente.
Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos então, em razão da sugestão, ela tende, com certa probabilidade, a dar uma resposta ou ter uma reacção também desprovida de um senso crítico como a de uma pessoa de 12 anos de idade ou menos.

6 – Utilizar o aspecto emocional muito mais do que a reflexão
Essa técnica utiliza o aspecto emocional do indivíduo, de modo que ele deixe de pensar criticamente sobre as questões importantes, para facilmente ser influenciado na tomada de decisão a favor da classe dominante.

7 – Manter o público na ignorância e na mediocridade
Essa técnica torna os indivíduos alheios aos principais acontecimentos, fazendo com que não sejam capazes de compreender as técnicas utilizadas pela classe dominante, para escravizar e manipulá-los, sem que possam ao menos, manifestar uma opinião fundamentada acerca de determinado assunto.
A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores e as classes sociais superiores seja e permaneça impossível para o alcance das classes inferiores.

8 – Impor modelos de comportamento
Indivíduos alienados que não são capazes de formular uma opinião crítica sobre determinado assunto e que sempre são influenciados por uma ou mais pessoas, são mais fáceis de controlar, do que aqueles que fundamentam seus argumentos de modo crítico.

9 – A autoculpabilização
O indivíduo sempre é visto como o culpado pelo seu sucesso ou fracasso e que não há nenhuma relação com os aspectos sociais, políticos e económicos que estão a sua volta. Ao invés de lutar pelos seus direitos, posicionar-se a favor ou contra alguma medida, e procurar fazer a sua parte frente aos problemas que o aflige, acaba por punir a si mesmo.
Muitas pessoas de tanto se culparem pelos problemas, desvalorizam a sua própria capacidade de vencer as adversidades, tornando-se depressivas. Por exemplo, o indivíduo que perde o emprego e ao tentar adquirir um novo, ao receber várias respostas negativas, logo se sente culpado e incapaz de conquistar um novo emprego, deprimindo-se ainda mais.

10 – Os meios de comunicação sabem mais de você que você mesmo
Por toda parte onde andamos, somos vigiados, assim como uma espécie de reality show, temos a nossa privacidade ameaçada pela influência da mídia, da indústria cultural que nos impulsiona a consumir além do que realmente necessitamos.
Das câmaras de vigilância espalhadas pelos quatro cantos da cidade, que no intuito de nos manter em segurança, acaba nos inibindo de fazer coisas que poderíamos fazer se não houvessem câmaras.
Fora as pesquisas, sondagens, para saber a preferência do público sobre um assunto de grande importância, justamente para se valer das técnicas de controle das massas já mencionadas anteriormente, e colocá-las em prática.

Bibliografia:

Noam Chomsky: https://chomsky.info/ 
https://www.rtp.pt/play/p2771/e249021/os-boys  
https://www.youtube.com/watch?v=7qAbPn_PtDU
https://www.youtube.com/watch?v=N4yLQZr9vb8
https://www.youtube.com/watch?v=PaaBFhWbr98
https://www.youtube.com/watch?v=xBVUBJXWXWY
https://www.youtube.com/watch?v=iQKyse8K3P4
Ribeiro, Vasco. (2009). Fontes Sofisticadas de Imprensa: Análise do produto jornalístico político da imprensa nacional diária de 1995 a 2005. Lisboa: Formal Press.

Contrabando de Informação


MOOC "Cenários de aprendizagem ativa"

Numa época em que cada vez mais temos de apostar em metodologias ativas, privilegiando o ensino à distância, pode ser útil a participação no MOOC “Cenários de aprendizagem ativa”, promovido pela DGE e dinamizado pelos embaixadores da Iniciativa Laboratórios de Aprendizagem da Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (ERTE/DGE).

Para mais informações clicar aqui

Ciências para crianças

Porque os nossos alunos estão sob uma enorme pressão e tensão, e porque "brincando" se aprende, deixo aqui algumas sugestões...
Por aqui

Heroes of the Galaxy

Desde sempre considerei o sentido de partilha um requisito básico no que diz respeito à atividade profissional dos docentes. Juntos seremos sempre melhores e a adesão a plataformas em que professores podem partilhar atividades com a utilização das tecnologias enriquece e motiva todos os que têm o desígnio de orientar as novas gerações.
Tem sido assim desde 1992, com o projeto Minerva, e será assim até ao final da minha carreira.
Tendo em consideração o exposto, irei partilhar aqui recursos que desenvolvo para os alunos e que publico na plataforma Moodle do Agrupamento de Escolas de Coronado e Castro, Trofa.
Também na formação contínua de professores incentivo e motivo os colegas formandos para tornarem as suas aulas mais motivadoras e atrativas para esta geração de alunos.

O recurso seguinte foi realizado em língua inglesa e aborda temas astronómicos, graus de adjetivos e verbos com a introdução ao Past Simple. Espero que gostem.

https://view.genial.ly/5e5b83233ca5910fdcf77887

quarta-feira, 18 de março de 2020

A Educação Proibida

Na Educação Possível, A Educação Proibida